“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre. E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.” João 7:37-39

“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre.” João 14:16

“Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.” João 16:7-8

Jesus era da Galiléia, uma cidade pequena da qual diziam que não poderia sair nenhum profeta. Entretanto, através do estilo de vida que Jesus ensinou a doze discípulos o Evangelho foi propagado para quase todas as partes do mundo. Qual foi a chave do sucesso desses discípulos?

Em primeiro lugar, eles tinham a convicção da boa nova (João 14:9) e a certeza da redenção. Isso dava a eles uma força tão grande que eles preferiam morrer a ter que negar a Verdade na qual criam.

Em segundo lugar, as águas do Espírito  Santo haviam inundado a vida deles e por isso a Palavra era verdade neles.

Quando as águas do Espírito fluem, elas causam uma inundação. Nós precisamos dessa inundação, porque ela é poderosa e carrega tudo que está no seu caminho. Se a inundação do Espírito passar na nossa vida, até aquele que parecia sem vida fará grandes obras.

Para sermos inundados, precisamos primeiro entender quem é o Espírito Santo, porque quando falamos Dele, pensamos nos dons espirituais que Ele nos dá e acabamos O limitando. O Espírito não é apenas dons, Ele também nos dá frutos para nos tornar parecidos com Cristo (Galátas 5:22-23).

Algumas vezes temos uma visão distorcida do Espírito Santo e não O vemos como uma pessoa. Isso acontece porque O conhecemos superficialmente. Precisamos conhecê-Lo, porque assim conheceremos Jesus e teremos experiências com Deus.

O Espírito Santo é tão Deus quanto o Pai e quanto o Filho. Ele é uma pessoa que está ao nosso lado em todo tempo e, se lembrássemos disso, talvez não pecássemos. Temos a certeza de que Ele é uma pessoa por diversas características Dele, dentre elas porque Ele tem a capacidade de raciocinar e tomar decisões, e Ele pode e quer nos ajudar a tomar as nossas decisões. Ele tem uma opinião pessoal para cada um de nós.

O Espírito fala e Ele quer falar com você. O Espírito pode se satisfazer com você se você usar os dons que Ele te deu (1 Coríntos 12:11) e também pode se entristecer conosco (Efésios 4:30), isso porque como uma pessoa, Ele tem sentimentos. Somente quando entendemos que o Espírito Santo é uma pessoa o rio Dele pode correr na nossa vida.

Depois de entendermos isso, há uma obra do Espírito a ser feita na nossa vida: nos convencer do pecado. Entre a enchente de Deus e a nossa vida, existe um obstáculo chamado pecado. O Espírito quer quebrar essa barreira. Se não fosse por Ele, nenhum de nós teria consciência do pecado e nos acharíamos melhores do que as outras pessoas, como o fariseu de Lucas 18:9-14.

Falta hoje na igreja pessoas conscientes de seus pecados e por isso não vemos as pessoas chorando pelo pecado, mas apenas pelas consequências dele. Se estivermos no pecado, Deus não estará no nosso meio e, por isso, após nos convencer, o Espírito também quer nos purificar. Só através Dele nós podemos nascer de novo.

Por fim, o Espírito Santo mata a sede da nossa alma. Só Ele satisfaz a nossa alma. Podemos ser pobres na terra, mas se buscarmos o Espírito Santo, seremos ricos no céu.

Pregação resumida de Pr. Rick Jorge