“E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo. E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele. E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes, e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. E eles lhe disseram: Em Belém de Judéia; porque assim está escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, de modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá;porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo Israel.”
Mateus 2:1-6

Há muitas lições nesta narrativa que precisamos aprender. Podemos ver que Jesus provoca uma grande agitação com o seu nascimento. O mesmo acontece quando Jesus nasce no coração de alguém: Ele causa um grande reboliço.

No texto nós vemos que Jesus causa efeito distintos em dois tipos de pessoas. Para algumas, Ele será a salvação , enquanto para outros Ele será uma pedra de tropeço . A salvação no texto está com aqueles que estavam geograficamente distantes de Jesus. O nascimento de Jesus tem um impacto maior fora de Belém e as pessoas de fora são conduzidas para perto.

Isso mostra que a graça de Deus é soberana e Ele salva quem quer salvar, independente de a pessoa estar perto ou longe, de ser boa ou má, de nós querermos ou não orar por elas. Os magos não eram judeus, ele eram pagãos que estudavam as estrelas, mas mesmo sendo ímpios, eles foram alcançados pela graça do Senhor. Deus os atrai e os chama para si mesmo. Nenhum homem está fora do alcance de Deus.

Deus usa os seus meios para alcanças as pessoas que deseja salvar. Esses meios podem ser as pessoas que vão orar e pegar o evangelho, ou podem ser elementos da natureza, mas de alguma forma Ele vai se revelar.

No versículo 2, há uma atitude dos magos que deve ser imitada pelos cristãos: só de ver a estrela, os magos deixaram tudo para ir adorar Jesus. Eles fizeram como Abraão, que deixou a sua terra e sua parentela para ir a uma terra que Deus mostraria. Os magos não sabiam para onde estavam indo, mas pela fé eles creram que iriam encontrar o Salvador.

Quando a luz do nascimento de Jesus brilha na vida dos magos, eles não conseguem ficar parados e saem em busca das coisas espirituais. Eles não conseguem ficar indiferentes Deus coloca no coração deles grande curiosidade.

Eles são obedientes, pois a fé está atrelada à obediência. À medida que nós obedecemos, a bênção do Senhor cai sobre nós. Eles também são generosos, porque quando a luz brilha em nós ela dissipa toda avareza. A forma que os magos encontraram de expressar o domínio daquele rei era oferecer presentes a ele. Deus não se importa com o seu dinheiro, porque com ele ou sem ele a obra de Deus vai continuar, porém os adoradores sempre levam à presença do Senhor algo que lhes custe.

A igreja precisa reconhecer a soberania de Deus e se curvar diante Dele Devemos nos curvar diante do Senhor quando entramos na igreja e demonstrar a nossa reverência no nosso modo de vestir, falar, se comportar. O Senhor só se agrada quando mostramos que somos reverentes. Devemos cumprir os deveres da fé para que os direitos nos sejam concedidos.

O segundo tipo de pessoa tratado pelo texto é o das pessoas que estão geograficamente perto, mas com o coração longe e para essas pessoas Jesus seria uma pedra de tropeço. Herodes era uma dessas pessoas. Ele ficou perturbado com o nascimento de Jesus, porque ele sabia que o bebê era descendente de Davi e temia perder o poder que havia conquistado. Se Jesus reinasse, Herodes perderia sua posição.

Jerusalém também se preocupou, porque lá todos estavam ligados ao poder de alguma forma e se Herodes caísse, eles também cairiam. Muita gente fica preocupada porque o evangelho interfere diretamente na vida das pessoas que o aceitam. O evangelho bate de frente com o pecado e algo tem que mudar, as pessoas não podem permanecer iguais. Onde há pecado, Cristo não está. Onde Cristo está, o pecado não pode imperar. Quem quer viver no pecado não encontra conforto na Palavra.

Havia também os escribas e os principais sacerdotes. Eles sabiam onde Jesus nasceria (v.6), mas eles não foram para Belém adora-lo. Eles tinham conhecimento, mas não quiseram praticar. Conhecer a Bíblia é bom, mas nós também precisamos praticar. Se não praticamos a Palavra, podemos indicar o caminho que leva a Jesus, mas nós mesmos não chegaremos lá. Não adianta assistir aos cultos e não procurarmos a vontade de Deus.

Se nós procurarmos o Senhor, nós vamos encontra-lo.

 

Pregação resumida de Pr. Samuel Salgado